8 de set de 2011

Sai pra lá pessimista!



Ai gente não tem coisa que me irrite mais do que
pessoa pessimista, que coisa chata! Não tem um
fato que esse pessoa ache que vai dar certo, vai
se divertir, que é seu dia de sorte.
Para ela tudo sempre é perigoso, vai dar errado,
nada é divertido, e o seu dia é de azar.
Tenho uma conhecida que só Jesus! Me escondo
para não encontrar com ela na rua, quando abre a
boca só desgraça. Falei que estava com pressa, pois
ia a um lual para que?! A mulher começou a dar lição
de moral que lá é perigoso, só tem assalto, que eu
estava indo para morrer ( detalhe só vitória rsrs )
por isso ela não sai de casa enfim... Me alugou
por quase duas horas e em nenhum momento 
disse '' mas você é adolescente tem que aproveitar ''.
Minha mãe está em todas rsrsrs, depois de genera -
lizar é o cumulo do pessimismo tudo ela só pensa
o pior. '' Mãe quero ir para Londres ''  Tá maluca?!
O avião vai cair... sabe como são esses aviões, Londres
só tem vagabundo... vão te sequestrar para vender seus
órgãos e por ai vai... ( só profetizou bençãos rsrsrs ).
Gente quanta derrota que mania de tudo dá para
trás! Odeio, pessoas assim cavam a própria solidão

Eu hein! Não há quem aguente.



Odeio pessoas que generalizam tudo



E quando digo tudo, quero dizer TUDO mesmo.
Não tem um fato que essa pessoa não imponha
seu ponto de vista e não generalize afirmando que
todo mundo acha o mesmo.
Minha mãe é uma que tem essa mania horrível
de generalizar, hoje discutimos feio porque ela disse
que minha prima ( que não vou citar o nome ) é
mais bonita que eu. Realmente ela é linda com 13
anos é alta, magra, branquinha, cabelos lisos até
ai concordo! Só que ela alegar que tudo mundo acha
é ridículo.
Perguntei todo mundo quem? A senhora? A
familia? Porque fique sabendo a senhora que os
homens de hoje em dia não liga mais para isso não,
os meninos que dão encima de V ( vamos chama - la
assim ) dá encima de mim também.  Quando saimos aqui
na rua eles mexem com as duas, então não estou vendo
mais diferença de seu ser morena de cabelo enrolado e
ela ser branca de cabelo liso.
Ela não satisfeita continuou, porém alegando que não
estava falando de homens e sim de beleza natural. Ai
tive que puxar a discussão para o lado de que beleza é
algo muito relativo,  a Catherine Zeta Jones por exemplo:
é considerada uma das atrizes mais perfeitas de
Hollywood junto com a Megan Fox, mas ainda tem 
gente que não acha!
E não são anormais por conta disso. Meu amigo D ( vamos
chama - lo assim ) falou para mim que minha prima não
enche os olhos dele, que prefere escurinhas.
O assunto V acabou e minha mãe para me deixar de
saco cheio generalizou outra coisa: que todo mundo
na minha idade tem independência financeira. Eu
disse a ela que a maioria dos pais querem que os filhos
estudem ao invés de trabalhar em qualquer porcaria
e fui além, disse que nem todos os pais querem dinheiro
da noite para o dia.
Não é apenas minha mãe que me irrita e sim quem tiver
essa mania ridícula de generalizar. Mude agora! 
Pois essa mania não leva a nada.


3 de set de 2011

Quando libertamos nosso arco - íris interno




Na maioria dos casos de pessoas que
se descobrem '' diferentes '' a primeira
coisa que fazem é negar - se a si mesmo.
Quando os tais '' sintomas '' do diferente persis-
tem, a segunda coisa que essas pessoas fazem é
procurar a cura.
Essa questão da aceitação tem o mesmo grau de
dificuldade de se assumir, só que se aceitar depen-
de apenas de nós. Ninguém sonha em ser gay,
lésbica, transgenero; como ninguém quer para a
vida preconceito, violência gratuita, viver se
escondendo.
 Mas quando essa condição aparece ficamos sem
chão, tentamos esconder o grande sol com a pe-
neira. Ficamos dias, meses, em inumeros casos
anos tratando - a como um bicho de sete cabeças.
E sem perceber trancamos nossas vontades e
sentimentos em uma jaula, junto com um monstro
chamado medo.
E esse monstro com o tempo vai sugando nossa
felicidade, nos dando de brinde uma vida que não é
nossa com poucos motivos para sorrir.
Encarnamos um personagem sem coração, progra-
mado para seguir os padrões de '' normalidade ''.
Mas chega uma hora que temos que dá um basta! O
peito grita insistindo em querer respirar. E aos
poucos um filme passa diante de nossos olhos, cai a
ficha de quanto amor perdemos trancados nessa jaula.
Após a queda da ficha entramos em fase de transição,
começamos a nos amar, a agir de acordo com nossas
vontades, a aceitar nossos sentimentos mais profundos.
Até que libertamos nosso arco - íris interno, vestimos
a camisa da condição tão rejeitada em outrora e com
isso, matamos as seis cabeças do bicho. Entramos
com pontos de sobra na batalha contra a sétima
cabeça que é se assumir.

Mas ai esse assunto fica para outra postagem.