30 de mai de 2012

"Marcha para Jesus"



Recentemente teve no Rio a "passeata para Jesus",
coloco entre " " com ar de ironia não em desrrespeito
ao nome de Cristo e sim ironizando o fato de milhões
de pessoa que se dizem fiéis usar o poder da palavra
de Deus para criticar e reinvindicar contra o direito
do próximo.
Achei de extremo mal gosto e falta de senso a
passeata ser "contra a homofobia", coloquei entre
" " novamente porque a frase lida com outro ponto
de vista se entende outra coisa.
Juro que quando li no jornal: " Cristãos se reune
na passeata contra a homofobia". Pensei que
finalmente estavamos a um passo da igualdade, 
que o pessoal evangélico viu que julgar e execluir o
próximo não está com nada, apesar de nossas
diferenças somos todos filhos de Deus. No 
entanto minha felicidade durou pouco ao ler
a matéria inteira, nela explicava o verdadeiro
motivo da passeata lutar contra a lei que irá
criminalizar o ato de homofobia.
Me pergunto o que Jesus tem haver com isso?
Esses "fiéis" acham que é da vontade dele
ser contra uma lei que defende seres humanos
de serem espancados por amar diferente.
Desde quando está na biblia que devemos
julgar, matar e maltratar os que agem dife-
rente de nós?
O motivo deles reinvindicarem contra a lei
é tão mesquinho, sem senso e ignorante "lutar
pelo direito da familia" eles acham que levantar
meia duzia de cartazes, gritarem em auto - falantes
frases como "Homossexualismo é o mal do século" e
"Tome sua vacina contra o vírus do gay!" os salvam
de alguma coisa.
Salva nada! A verdade é que querem justificar esse
ato de preconceito gratuito usando Jesus Cristo.
Não vi em nenhuma passagem biblica Deus de-
finindo um unico padrão de amor; mesmo que
tenha definido não vi também em nenhuma
passagem que Deus ordena a morte para os
que amarem diferente, alias punição alguma.
 Eu acho que se os evangélicos querem respeito,
eles tinham que aprender a ver que o limite
deles termina quando começa o nosso. Afinal
na passeata do orgulho LGBT "passeata da
gastação de dinheiro publico" - Como definiu
o ditador Malafaya - Não nos manifestamos
contra o direito deles de serem evangélicos,
tampouco a forma de pensar, sabemos
muito bem respeitar a crença e os valores
de cada um.

Queriamos que tirassem da cabeça o conceito
de que os gays querem mudar a forma de vocês 

"heteros normais" pensarem e o mais ridiculo: " Que

os gays querem induzir os heteros a serem gays".

Pois ninguém induz o outro a nada! Da mesma forma que
o hetero não consegue induzir um homossexual, seja
o que for gay, lésbica, travestir a ser hetero. O
homossexual não consegue induzir um hetero convicto
a ser homossexual.
Me respondam uma coisa para quê alguém que se
denomina religioso reinvindica pela liberdade de
criticar? Criticar não é pecado?
Um amigo meu disse que é a favor da passeata,
pois a lei da homofobia tira o direito dele de dis-
cordar do homossexualismo. Eu disse a ele que
não vai e nunca será proibido o direito de dis-
cordância, até porque vivemos com base de uma
lei de liberdade de expressão.
Sem ela não poderia ser realizada a "passeata de 
Jesus" nem a do orgulho LGBT. Sem liberdade de
expressão não poderiamos nem estar falando sobre
esse assunto para terem uma ideia.
Discordar é direito de cada um, mas discordar
não é chamar de viado certo? E é isso que a lei
proibe ofensa e agreção fisica.
Criticar é pecado! Apontar, e o pior pelo que
entendi o ditador titulado pastor incentiva
seus suditos a brigarem pelo direito de chamar
os outros de viado, ele não quer que a lei
entre em vigor para continuar naquele programa
de 5ª dele chamando os travestis de safados
e sem vergonha!

Gay destroi familia e o divórcio faz o que trás

ela de volta? Me poupem tantos motivos

faz uma familia acabar e ninguém fica fazendo

passeatas.

Traição destroi familias e não vejo os "crentes"
preocupados com isso. Familia é pai, mãe
e filhinho? E pai pedófilo, mãe que estrangula
o filho é familia também?
Isso o Malafaya e você homofóbico não
consegue me responder.

Nenhum comentário:

Postar um comentário