7 de fev de 2011

Homofobia: Baixada X Zona Sul.




Não adianta governo Dilma
BBB, novela das 9. O Brasil continua
retrogrado a homossexualidade. Pessoas
capazes de cometer crimes absurdos
só para não aceitar a diferença. Estou
pasma com a nova '' moda '' de estuprar
mulheres como corretivo para
deixarem de ser lésbicas. Em pleno
século 21 com uma tecnologia sem tamanho,
ainda existe esse tipo de pessoa intolerante.
Do que adianta programas como Amor &
sexo nos incluir? Se na rua não temos
lei que nos defenda.
O Estado do  Rio de Janeiro sofre o
seguinte dilema:

A Zona Sul evolui e a Baixada se afunda em ignorância.

Ontem fui em Ipanema com uns
amigos e assim que desci do metrô
respirei um ar diferente. Pessoas
caminhavam tranquilas no
calçadão, falavam bom dia uma com
as outras, os idosos bem vestidos
tomavam água de coco no quiosque.
Prédios conservados davam vida a
um dos cartões de visitas mais
famosos do Rio.
A diferença, olhava não tinha um
papel no chão, não havia cachorros
cagando na esquina. Classe média não
existe botecos e sim bares e restaurantes. Onde
crianças só andam acompanhadas de seus
pais, onde policia vai quando é chamada.
Ao chegar na praia de Ipanema reparei que
tinha mastros com diversas bandeiras e algumas
delas era do arco - íris que representa o nosso
símbolo LGBT.
Comentei com o Almir um dos meus amigos
sobre as bandeiras e ele me disse: – Sapatão
como a senhora é lenta. Esse é o lado gay da praia.
Eu fiquei surpresa e feliz com mais uma
realização da nossa classe. Uma área da praia
só nossa vários casais de lésbicas namorando
ao ar livre, gays maravilhosos com os
seus parceiros um luxo. Lésbicas
de todos os tipos das que usam biquine a
cuéca de praia.
Após um dia de sonho na Zona Sul volto
a minha realidade: lixo no chão, pessoas
mal humoradas, idosos mendigos
de rua, crianças vendendo drogas na
esquina. Cenário típico da Baixada
para completar meu primo foi
agredido com o namorado na praça só
por que eles estavam abraçados. Me
pergunto por que pobre é assim? Revoltados,
intolerantes, fazem questão de agredir. A
questão não é apenas ser pobre de dinheiro: o
triste é ser pobre de dinheiro e de espírito.

O que o governo Dilma está esperando para criminalizar
a homofobia? Casamento gay não é prioridade
com essa violência.


JUSTIÇA AOS CASAIS AGREDIDOS NA PRAÇA DE SÃO MATEUS.

Um comentário:

  1. Realmente, ipanema é inegavelmente um point gay no rio!! Mas cara, esse lance de sofrer homofobia.. acho que sou muito sortuda! por que eu ando o tempo todo de mãos dadas com a namorada, abraço, dou selinho.. tanto no centro, quanto na barra, zona sul, zona norte, baixada.. e nunca sofremos neada. O maximo é olharem meio torto, mas só.

    Beijos, G.

    ResponderExcluir