21 de fev de 2011

O remédio espiritual.





As vezes a mudanças em nossas
vidas tão esperadas, que ao
chegar ficamos aliviados a ponto de
esquecermos de agradecer.
Quando tais mudanças não chegam
muitos de nós, deixamos o mais impor-
tante: a fé.
Sem ela não adianta sacrifício, noites em claro,
não adianta sonhar se não acreditar. Muitos
são os que acham que fé é ligado a religião.
E que para ter Deus em suas vidas, precisa
de uma determinada religião, se enganam!
Demorou. Mas eu descobri que ele é
comigo, só ele tem o poder da vida. Se ele
me deixou viva é porque esse Deus que
podemos definir como: o todo poderoso, luz
divina, espírito santo tem um plano em
minha vida.
Logo pude entender que o vazio em meu
peito era espiritual. Através de um livro chama-
do: Telepsiquismo descobri que para Deus
somos todos iguais.
Ele não escolhe para quem dar a bênção, todos
podem receber basta acreditar. O
que chamamos de Deus na verdade é uma
energia infinita.
Esse livro me abriu os olhos para as seguintes
questões: Deus não é humano como ele
tem preconceito?
Se ele é uma energia infinita, então não
tem favoritismo não acham?
Minha homossexualidade não me impede de ter
Deus e sim de ser aceita por uma religião.
O pastor me exclui pela ignorância dele. Ele
não passa de um ser mortal.
Ser esse cheio de erros que me define
pela vida pessoal e não pelo bem que faço.
A fraqueza está na doutrina, o furo, a
opressão. O melhor remédio espiritual
que eu tomei foi: aprender a
separar Deus de religião.


Esse texto não foi escrito e não é para
evangelizar, nem dar lição de moral a
ninguém. A intenção não é difamar e tampouco
falar de nenhuma religião. O texto é de autoria
minha, deixando bem claro que é de visão
pessoal. Alguns trechos se baseiam no livro:
Telepsiquismo Dr. Joseph Murphy.

Se essa palavra serviu para você: indique a um amigo!



                               | Até a próxima |

Um comentário:

  1. Tenho uma preguiça enorme com o preconceito das religiões.

    ResponderExcluir