16 de jan de 2011

Carta para Ema.



12 de, Novembro, de 1985
Cara Ema desdo dia em que me
mudei para a Argentina não
paro de pensar que nossa amizade
poderia ter ido além. Nossos
dias na escola eram os melhores,
gostava de quando você levava
biscoitos de flocos só para mim.
Lembro das nossas matadas de aula,
para assistir VHS na casa da Olívia.
Não apago da memoria, o dia que você
falou o quanto me amava. Mesmo
sendo como amiga: significou muito
para mim.
Me rebobino ao dia, em que lhe dei um
Atari. E seus olhos brilharam.
Aos 15 anos o seu sonho era ser atriz da
TV Pirata.
Juro querer reviver tudo outra vez. Aquele
baile de formatura que te pedi, para ficar comigo
e você disse sim.
Mas estou bem aqui em Buenos Aires, espero que 1989
chegue logo. E que até lá Deus me de saúde.
                                        
                                                                        Ass: Betina

Conclusão: A vida é curta, viva e não deixe que os
segundos escapem de suas mãos. Faça cada movimento
valer apena. Respire sem arrependimentos.
Pois a morte é uma visita, que não tem hora de chegar.


Em 11 de, Fevereiro, de 1987 Betina morre em um acidente de carro.

Um comentário:

  1. Lindo esse texto, adorei...
    Isso mesmo, vamos aproveitar a vida!

    ResponderExcluir